terça-feira, 4 de setembro de 2007

2924. Torre do Relógio no Avante!

"À espera", de Paulo Dâmaso

A propósito da presença de uma réplica da Torre do Relógio, na 31ª Festa do Avante!.

Para quem não conhece a Festa do Avante! é fácil falar mal. Mas qualquer um, depois de por lá passar três dias, saberá reconhecer que é a maior festa cultural realizada no país. E olhem que nem todos os milhares de pessoas que por lá passam são militantes do PCP. Já por lá encontrei muitos socialistas, sociais-democratas, bloquistas e outros! E nem por isso perderam alguma parte mais "baixa" do corpo!

Sobre a presença da Torre do Relógio na festa, em representação do distrito de Coimbra, sinto-me orgulhoso por ver o meu burgo representado. Ao menos alguém que vá reconhecendo as virtudes já que os locais só vêem defeitos…

Pena é o motivo que levou à escolha de tal símbolo, é que o mesmo servirá para alertar para o estado caótico da indústria da construção e reparação naval na Figueira da Foz! Uma industria que já foi das mais representativas economicamente e que hoje está reduzida... a zero!

Sobre o que se tem dito no Amicus Ficaria sobre comunismo e democracia deixo apenas a minha opinião: A democracia deu-nos um direito! Qual?, perguntam! O direito de votar de quatro em quatro anos em quem nos vai f**** nos quatro anos seguintes!

5 comentários:

Anónimo disse...

" Ao menos alguém que vá reconhecendo as virtudes já que os locais só vêem defeitos…" - o autor tem uma lata, se existe alguém que é serve da fig para a mandar abaixo é o sr.!os seus posts sao uma boa marca disso,nao sendo posts de intervenção mas sim para destruir a fig e agora vem cheio de paninhos quentes, afinal a hipocrisia tb é uma das suas "virtudes"...

Paulo Dâmaso disse...

Caro anónimo/a, lanço-lhe um repto. Cite, aqui, uma passagem de um "post" em que eu tente "destruir" ou "mandar abaixo" a Figueira!

Desafio-o/a. Aceita?

RMG disse...

Mas posso lançar eu a questão: aceita ver misturado um simbolo sua tão estimada terra com grupos terroristas que fazem atentados à bomba, matando vitimas inocentes, raptos,sequestros e etc? Ou o cunho de "festa cultural" utilizado desculpa tudo?

Paulo Dâmaso disse...

Ao RMG, o cunho de festa cultural, obviamente, não serve de desculpa para tudo, mas, mais À frente, transcreverei aqui uma notícia, no JN, na qual Jerónimo de Sousa admitiu a presença de elementos das FARc na Festa mas critica os metodos utilizados pelos revolucionários colombianos para a obtenção dos seus fins:


"Elementos das FARC estiveram na festa do Avante
Admite Jerónimo de Sousa




O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, admitiu hoje a presença na edição deste ano da festa do Avante de membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), mas garantiu que "todas as entradas" no recinto "foram legais".

"Naturalmente convidámos o partido comunista colombiano e a revista ´Resistência´", afirmou o líder comunista, após uma visita a um lar para reformados em Alhandra, afirmando a solidariedade do PCP com o ideário aquele movimento.

Apesar dos métodos utilizados pelas FARC, "que o PCP não usaria", existe uma "grande solidariedade" com o movimento porque "a maior violação dos direitos humanos é impedir que um povo tenha direito à sua soberania, à sua liberdade" afirmou.

Na sua edição de hoje, o Diário de Notícia escreve que o embaixador colombiano em Lisboa, Plínio Apuleyo Mendoza, pediu explicações ao Governo português sobre a presença na última edição da festa do Avante de activistas das FARC, um grupo classificado como terrorista pela União Europeia.

Jerónimo de Sousa deplorou a iniciativa do diplomata colombiano, retorquindo que caberia ao embaixador da Colômbia "dar contas das razões que levam ao assassinato, por exemplo de 70 sindicalistas comunistas, atitudes terroristas contra o movimento sindical".

Para o secretário-geral do PCP, a "questão central" é que o PCP tem "uma concepção diferente de terrorismo" comparativamente à UE e Estados Unidos, criticando também o Governo a este respeito.

"Pensamos que esta operação e esta deriva em relação à nossa festa procura esconder a responsabilidade deste Governo em relação a actos de terrorismo de Estado, designadamente em relação à facilidade que permitiu que em território nacional se cometam como os voos da CIA, transportando prisioneiros à revelia do Direito Internacional", apontou.

O líder comunista criticou, por isso, que se "procure colocar na ordem do dia" o que não passou de "uma festa normal, um convite aberto e uma participação claramente legal", perante o simultâneo "silêncio de chumbo" em torno do que classificou como "terrorismo de Estado". "

in JN de 7/09/2006

RMG disse...

Paulo:

para fechar o ciclo de comentarios sobre o assunto, a noticia está muito bonita, com o SG do PC a não negar o obvio, como não pode. Mas em lado nenhum da noticia se depreende que o PC condena: pelo contrário, demonstra solidariedade e até o justifica.
O que todos sabemos - e não era preciso que Jerónimo o dissesse - é que o PCP tem um conceito diferente de terrorismo, assim como tem um conceito muito diferente de Democracia, e um conceito muito diferente de Liberdade.
Graças a Deus, vivemos num conceito muito diferente do apregoado pelo Jerónimo.

Abraço