quarta-feira, 11 de março de 2009

Interactividade com os comentadores

Dos comentários que tenho recebido ultimamente, aqui na Confraria das Bifanas, há dois que merecem ser destacados:

«o gajo não desconfia, pois como és uma merda, o mais natural é q não cheires a rosas,chulo,cabrão de merda,um cheiro nauseabundo agradavel era o do teu corpo a apodrecer!filho da puta

«filho da puta,so mesmo um merdas como tu para ter de fazer isto para ser reconhecido,querias que o estadio tivesse o teu nome?mas quem és tu meu seboso na historia da figueira,o euromilhoes nao da reconhecimento,meu parolo,estavas bem era a apanhar no cu ate cagares as tripas»


Aprecio estes comentários de refinado teor literário e humoristico. Fico, até, perplexo com o conhecimento que o autor dos mesmos revela sobre a minha pessoa: de facto sou um filho da puta, um chulo e um cabrão (embora ainda não tenha descoberto como posso ser cabrão já que não tenho namorada nem sou casado! Nem sequer tenho rebanho de cabras!).

Deduzo também que o comentador seja necrófilo uma vez que demonstra ter atração sexual por mortos ("um cheiro nauseabundo agradavel era o do teu corpo a apodrecer"). Mas, peço-lhe desculpa, não lhe vou dar esse prazer. É que pretendo ser cremado e como já há crematório na Figueira da Foz a coisa vai ser rápida!

Para terminar, dizer que mesmo que um dia venha a levar no cu (coisa que vossa excelência releva ter experiência uma vez que sabe que eventualmente se podem cagar tripas com a prática de tais actos) não poderei cagar as ditas cujas. É que doei as minhas tripas para aquela operação que lhe fizeram ao cérebro. Está recordado?

Um abraço e bons comentários

6 comentários:

Maldonado disse...

Realmente há gente que não se manca! A minha alma está parva! :D
Por isso mesmo é que tenho activa a moderação de comentários, pois, para além de me permitir ler todos os comentários que são deixados no meu espaço, impede o acesso ao mesmo por parte de pessoas de mau carácter...
Na blogosfera há gente de todo o tipo... :|

António Agostinho disse...

A Figueira é o que é: a regra geral, é ninguém assumir nada.
Os comentários não blogoesfera retratam isso: reina o anonimato.
Os políticos que temos são que são: o retrato da Figueira.
Isto, anda tudo ligado.
Portanto, meu caro Paulo, quem assume alguma coisa, seja na Figueira, nos blogues ou na política, corre riscos.

Meu caro Paulo, apesar de tudo, a blogoesfera figueirense (pela menos a assumida, pois a anónima não conheço) está muito acima do resto.
Isto, acredita, não é a realidade.
A blogoesfera figueirense tem bloguers categorizados: prova dissso são as notícias, as ideias e os factos.

Isso, porventura, não tem recebido o melhor acolhimento do resto da comunicação social local.
Todavia, do meu ponto de vista, as coisas podem ser complementares, pois a blogoesfera pode acrescentar mais memória, mais conhecimento especializado, mais variedade de temas, novos ângulos de aproximação a um assunto, mais imaginação, maior cobertura local e de proximidade.

A leitura dos blogues locais, poderia colmatar deficiências de cobertura de acontecimentos locais por parte dos órgãos de comunicação institucionalizados.
È claro que, tal como na outra comunicação social, também existe muito lixo nos blogues, mas como estamos numa sociedade democrática (gosto de pensar assim…) o “mercado” encaregar-se-à de destrinçar o trigo do joio.

Um abraço e cá ficou um comentário

Paulo Dâmaso disse...

Maldonado,
Temos que os aturar. Como são cobardes o suficiente para não dizerem as coisas cara-a-cara fazem-nos sob anonimato. Cara-a-cara o caso ganharia outra forma ;)

António,
Como sabes o blogs nasceram da necessidade de um jornalista publicar artigos seus que eram censurados na publicação onde trabalhava.

Daí que a blogosfera poderia até, quiça, tornar-se no quinto poder!

Mas, se há blogs, como o teu, que dão a conhecer a realidade local e que os jornais e a imprensa em geral não revela, também há blogues que não interessam a ninguém.

Com os comentadores o mesmo. Há os interessados e dedicados e depois há os outros: os cobardes, os pulhas e os frustados.

Um abraço

Anónimo disse...

´Tas a ver?Agora vê os resultados com o tempo...Não há melhor defesa.Os cepos continuarao cepos.
Paulo C.

Anónimo disse...

Estou completamente de acordo com o comentário de António Agostinho. Agora o Dâmaso comparar-se com um jornalista, quer dizer, é o mesmo que comparar um prato de carne à alentejana com um big mac!!!! looool

FC

Paulo Dâmaso disse...

FC,

Eu jornalista??? Oh Deus, qurerem lá ver... Então mas eu nunca fui jornalista! quem lhe disse tal aberração? Oh Valha-me deus!