segunda-feira, 7 de setembro de 2009

"Onda do Cabedelo"


Então mas esperem lá... Tudo o que acontece de errado na cidade é culpa do presidente da Câmara?

E ainda há jornais que se dão ao "arranjo" de colocarem um porta-voz de um movimento a entrevistar o edil num "fogo cruzado"? Então esse papel - o entrevistar - não é trabalho dos jornalistas? ... Valha-me sei lá o quê!

O que tem a ver o presidente da autarquia com a eventual "destruição" da famosa onda?! A câmara não foi vista nem achada no processo. E mais. A edilidade não é uma das entidades que tem competência no referido dossier.

E já agora, srs do movimento SOS Cabedelo, quanto rende $$$ a pratica do surf à Figueira da Foz (já que na Europa é uma indústria tão rentável)?
E em comparação com as mais valias que terá a obra de prolongamento do Molhe Norte para o desenvolvimento e volume de negócios do Porto Comercial da cidade?!

3 comentários:

funkyvibes disse...

eu próprio pensei o mesmo que tu , na questão monetária.
é verdade que a construção do molhe vai destruir a dita onda , mas a verdade é que eu já não me recordo de ver uma etapa do mundial ou europeu de surf no cabedelo. e qual era a vantagem económica ? uma semana? 4 dias? com mais '500' pessoas nos restaurantes e hoteis... enfim

agora se o SOS defender um corredor e construção de um espaço balnear de qualidade e atracção turistica entre a cova e costa de lavos , então tem o meu apoio.

Anónimo disse...

Paulinho,
Então e o Presidente não diz nos cartazes, que valeu a pena lutar, pelas obras que o governo efectuou, incluindo a do molho norte?

Haja paciência...

João Gonçalves

Paulo Dâmaso disse...

João,

Há muitas obras que são da responsabilidade da Administração Central que só são possíveis após muita insistência da Câmara Municipal e da população que serve.
A obra do molhe norte é disso um exemplo. O assoreamento constante do rio custava muitos milhares de euros por ano. Esta obra vai permitir evitar esse assoreamento da barra e, assim, provocar um aumento da rentabilidade do porto comercial da cidade.
Outro exemplo é a obra da variante do galo d´ouro. A obra é da adminsitração central - a mesma que tem responsabilidades nessa matéria - no entanto e só após grande insistência da autarquia - e nomeadamente de duarte Silva - é que foi possível a concretização - quase em tempo recorde - da mesma.
Não é vergonha nenhuma admitir que as obras são do Estado mas sem a intervenção da Câmara, e a sua persistência, as mesmas não teriam sido realizadas assim com tanta celeridade.
Não estou a dizer que a "Onda do Cabedelo" não seja importante. Sou adepto da Natureza e, por acaso, o Cabdelo até é uma das praias que frequento e gosto. Mas, se me permite, prefiro a obra do molhe norte e os seus beneficios economicos para o concelho - postos de trabalho e desenvolvimento económico.

Saudações,